Bolsonaro está muito mudado... Será que é efeito de tanto consumir leite condensado? | Riobrasil Noticias

Bolsonaro está muito mudado... Será que é efeito de tanto consumir leite condensado?

Bolsonaro está muito mudado... Será que é efeito de tanto consumir leite condensado?

27/01/2021 16:05:00 | Miguel Pereira | Fonte: Jornal em Destaque

Quem acredita nessa constante mudança de tom que o presidente da república do Brasil Jair Bolsonaro vem adotando? Nem faz muito tempo o presidente havia dito que a CoronaVac, vacina produzida pelo laboratório chines Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, era a vacina do governador Doria. Agora, afirma que a vacina é do Brasil. Nada errado em mudar de opinião. Aliás, é bom sinal de coerência mudar de opinião após autoavaliação. O problema é que Bolsonaro muda do sim para o não, e vice-versa, sem nenhuma explicação – o que acaba por não convencer.


O que será que fez Bolsonaro se empenhar na compra da vacina que transforma pessoas em jacarés, faz homem falar fino e mulher criar barba? A China, tão atacada por ele e seus excelentíssimos filhos, virou da noite para o dia uma grande aliada...  Só falta o Jairzão brigar com os Estados Unidos e virar amiguinho dos chineses desde pequenininho. Nem vou lembrar que ele jurou de pés juntos em campanha que não faria a velha política, ou seja: negociar com o centrão. Para tanta mudança de opinião como se muda de roupa, eu tenho uma suspeita: efeito do excesso de consumo de leite condensado - apesar de não haver comprovação científica, diga-se de passagem! 


A informação de que órgãos do governo federal gastaram mais de R$ 15 milhões com leite condensado em 2020 - em meio a R$ 1,8 bilhão de gastos com supermercado - virou piada nas redes sociais nesta terça-feira (26), após ter sido divulgada pelo site Metrópoles. Os dados, extraídos do Painel de Compras do Ministério da Economia, também provocaram revolta entre políticos e anônimos que usam a internet para se manifestar contra o Bolsonaro. As compras do Palácio do Alvorada, onde ele vive, não estão computadas no levantamento. Mas, justiça seja feita: não é verdade que, sozinho, o presidente Jair Bolsonaro gastou R$ 15,6 milhões em leite condensado no ano passado, como alegam publicações nas redes sociais. A cifra corresponde ao custo anual com este produto para todos os órgãos do governo federal, não apenas a Presidência da República. Dos R$ 15,6 milhões, R$ 14,2 milhões foram empregados pelo Ministério da Defesa, o que pagaria, segundo a pasta, pela alimentação do efetivo de todas as Forças Armadas.


Claro que isto não justifica pagar por uma caixinha de 395g o valor de R$ 162,00, quando o valor no mercado gira em torno de R$ 6,00. Mas, sobre isto o Jairzão vai ter de dar explicações. O objetivo aqui não é saber quem está ou não mamando na lata da Moça, mas sim chamar a sua atenção para os perigos das inconstâncias de um chefe de Estado que mente e desmente, afirma e esquece o que afirmou, nega o óbvio e, logo, o defende.


Vivemos um momento tão conturbado e perigoso que a tendência é querer sair desse sufoco a qualquer preço e, ao sair, esquecer o que passou - aí mora o perigo. Conheço e adoto uma frase muito interessante. Nunca se esqueça de três pessoas: a que te ajudou na hora da dificuldade; aquela que te abandonou na hora da dificuldade e a que te colocou em dificuldade.


Com a variação constante de opinião e facilidade em desdizer o que disse, não é exagero acreditar que em 2022, ano das eleições, Bolsonaro afirme que investiu rapidamente na busca de uma vacina contra a Covid-19 e realizou a maior campanha de vacinação do planeta, que incentivou o isolamento social e ajudou milhões de brasileiros com o Auxílio Emergencial - que só começou com R$ 600, graças ao Congresso Nacional, não a ele que insistiu em R$ 200.


Bolsonaro desafia tão descaradamente às evidências, que disse na terça-feira (26) que o Brasil era o sexto no ranking mundial de vacinação, quando sua posição é 47º.


Um bolsonarista me perguntou: afinal, você gosta ou não do Bolsonaro? Minha resposta foi: Para mim, político não está para eu gostar ou não. Nem artista tem de mim esta condição. Sei admirar a arte e não admirar o artista. Assim funciono com os políticos. Não tenho que gostar, ser tiete de presidente, governador... Estes estão para eu – e todos que votam – julgar se estão fazendo bem aquilo para o qual foram postos.


Bolsonaro está cheio de pedidos de investigação por violação de direitos humanos até em Corte Internacional. Não esquecerei de como ele se comportou tentando criminalizar a imprensa; fazer a população desacreditar na pandemia do novo coronavírus; usar o poder conferido democraticamente a ele para blindar escândalos de corrupção de seu filho e esposa; de receitar remédios para a Covid-19 sem comprovação da ciência; estimular a aglomeração – a maior responsável pelo contágio desta doença que matou milhares de brasileiros... E que mesmo tento no país institutos capazes de desenvolver uma vacina, por falta de investimento nos fez reféns de importação de insumos.


Eu sei quem ajudou o povo brasileiro nestes tempos de pandemia; sei quem abandonou à morte os mais de 200 mil compatriotas, com sobra de cloroquina e falta de oxigênio; e sei quem os colocou nessa situação. Não esquecerei de nenhum deles nas eleições gerais de 2022.


(Foto manchete: um dos muitos memes que bombaram no Twitter) 

Continue lendo em jornalemdestaque

Compartilhe!




QR Code:









Eventos fotografados em Miguel Pereira

Ver outros eventos fotografados em MIGUEL PEREIRA - RJ









© Copyright 2003 / 2024 | RIOBRASIL DESENVOLVIMENTO DE SITES, SISTEMAS E ENTRETENIMENTO

SITES DO GRUPO : www.riobrasil.net - riobrasil.com.br - rb1.online - rb1.site


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.